Histórias de uma portuga em movimento.
28
Mar 07
publicado por parislasvegas, às 17:01link do post | comentar

Ainda agora cá cheguei e já estou de partida mental. Ainda não sei se vou, quando, para onde e como, mas a minha cabeça já cá não está, ansiosa por partir, mas também ansiosa por aproveitar todos os dias ao máximo, até ao último.

A única coisa que não está a dar muito jeito é esta barrigona de seis meses, o cansaço e a soneira filha-da-puta . Já não posso aproveitar tanta coisa. Há um lado inteiro de Paris que não vou conhecer e que já não vou viver (talvez mais tarde???). Tenho pena e ao mesmo tempo não tenho pena nenhuma. Eu, quando mudo, é sempre para melhor, nem que seja a única pessoa a pensar isso, nem que seja só eu que vejo o lado positivo.

Nesta viagem, como nas que a antecederam, não estou sozinha. Mas pela primeira vez, tenho que pensar numa série de coisas que nunca me ocorriam, porque o Kiko é um item adicional na nossa bagagem.

Uma das vantagens do caos que se instalou na minha cabeça é que não estou a atravessar nenhuma crise de medos de parir - tenho mais em que pensar. Orçamentos, mudanças, contratos a rescindir outros a fazer, regulamentos veterinários, transporte dos animais, mudança das contas bancárias. UFFFF ... e ainda nem há dois anos passei por tudo isto. Hei-de estar a parir o Kiko e a fazer contas aos caixotes que preciso. Provavelmente não me irei passar para o outro lado porque tenho a ajuda fortíssima do meu homem nas coisas da casa e da minha mãe com o Kiko . No fim das contas as mudanças não doem nada e acabamos por nos ver noutro lado do mundo, com a nossa tralha toda por organizar, outra vez (mais uma).

Depois é só começar tudo de novo, desta vez com ainda mais gozo porque teremos um pezinho de couve" (como dizem os franceses) para alegrar os nossos dias e tornar as nossas explorações ainda mais interessantes. Mais do que tudo, alegra-me pensar que posso dar ao meu filho três anos com tranquilidade, em vez de o criar numa das cidades mais poluídas da Europa, entregue aos cuidados de uma estranha. Alegra-me que o Kiko tenha a possibilidade de dizer as primeiras palavras em português, em lugar do provável russo. Acima de tudo, entusiasma-me a possibilidade de que ele me reconheça e identifique como mãe - a única.

Acho que não posso pedir mais do que isso.

 


teste
teste a 30 de Março de 2007 às 17:10

Só de ouvir falar em caixotes até me arrepio ainda ando a tratar um fungo numa unha que apanhei por causa dos outros caixotes que vieram do cú de judas,há mais de um ano, sabem que eu ainda sou daquelas que pensam que esses bicharocos não se chegam a mim,e por isso não preciso de luvas, agora só de pensar nisso acho que me vão cair as unhas todas.Bj querida.
Mf a 30 de Março de 2007 às 23:38

Para a próxima estás proibida de pegar em caixotes para não apanhares nenhum bicharoco chato. Só férias e curtir o netinho e mais nada!
Beijinhos!
parislasvegas a 2 de Abril de 2007 às 11:06

MF , quando estiveres com o teu Kiko , nem tens tempo de pensar em caixotes, o tempo vai ser pouco para ele. Vais estar sempre ocupada, quanto mais não seja a olhá-lo a dormir. É tão bom. Mas se for necessário mexer em caixotes, usa umas luvas daquelas cirúrgicas , que se vedem em caixas de 100 unidades, são óptimas para todas as tarefas.
CM, desta vez parece que vai ser mais fácil a mudança. Sabes que há situações na vida pelas quais vamos passando, que se vão tornando cada vez mais fáceis e as mudanças fazem parte desse lote de tarefas. Tudo vai correr bem.
Muitas felicidades e beijinhos para todos, mas em especial para vocês as duas MF e CM)
MM
mamãe a 2 de Abril de 2007 às 11:33

Estava a ler os comentários e a pensar a equipa que não fariam as nossas queridas mamãe e MF a fazer uma mudança!!! Beijocas para as duas! D.
D. a 2 de Abril de 2007 às 12:55

Mamãe - toda a razão. Com o tempo, há uma série de coisas que vão ficando mais fáceis ( é a tarimba). Esta mudança será muito mais fácil. Também tenho a certeza que me estarei a borrifar para muita coisa a que dei demasiada importância no passado. O kiko vai ajudar muito a relativizar as coisas. As únicas criaturas que me preocupam são as de quatro patas, essas, coitadinhas é que andam de arrasto até ao fim do mundo sem perceberem o que lhes aconteceu. Vida de cão é o que é!
D. - é melhor não lhes dares ideias que ainda montam uma empresa de mudanças. Nem queiras saber o dinheirão que uma pessoa paga a uns gajos que vão lá a casa e basicamente te amontoam tudo, embrulham, e atiram a eito para dentro de uns caixotes.
parislasvegas a 2 de Abril de 2007 às 15:58

Em relação à empresa de mudanças, como diria o mê ZdaD: "É um nicho".
D. a 12 de Abril de 2007 às 18:47

como diz o outro, o importante é manter o núcleo duro, em paris ou na coxixina...
BLIMUNDA a 3 de Abril de 2007 às 22:24

mais sobre mim
Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
21
22
23
24

25
26
27
29
30
31


arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO