Histórias de uma portuga em movimento.
22
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 11:59link do post | comentar
Tenho andado com a sensação de que este blog anda muito futilzinho. Assim à atirar pró super-light. E essas coisas cheiram-me logo a tias, linha e coisas do género. Como eu não quero que me convidem para escrever um livro, e já desisti de pintar o cabelo de loiro, o melhor mesmo é começar a falar sobre as coisas que me interessam e parar com este jogo de trivia. Enquanto dizia isto ao Xano (que concordou), passaram-me pela cabeça todos os temas que já tive alinhados para escrever, mas que nunca viram a luz do écran. É que como diz o ZP não basta mandar uma patacoadas mais ou menos alinhavadas. Não quero andar a debitar ideias absurdas no ciberespaço. Até porque a lotação para isso já anda esgotada.
Para postar de jeito é preciso ter tempo, para pelo menos pensar antes de teclar. O que não anda a acontecer lá muito neste momento.
Enquanto estiver em Pequim e em Shanghai, muito provavelmente, não vou conseguir aceder ao blogger, por isso lá se livram de mim durante duas semanas. Quando voltar vou tentar dar um conteúdo de jeito a esta coisa.
Como sabem, muito embora a China seja um dos principais utilizadores da net (acho que vai em 94 milhões de cidadãos com acesso), nem tudo é livre. Apesar da doutrina "um país dois sistemas" estar a melhorar em muito a vida dos chineses, não podemos esquecer que não se trata propriamente de um regime democrático. O aspecto social do país intriga-me tanto como o cultural. Tentando ter algum conhecimento, para tentar compreender um sítio de que tanto gosto (mesmo sem perceber patavina daquilo) já li tudo o que me apareceu à frente sobre a China. A diversidade é tão grande e a história do país estende-se por tantas eras, que às vezes parece que me afogo em informações que não consigo processar.
A china moderna não me é fácil de compreender. As disparidades entre classes são enormes. Os números do desemprego real não chegam sequer a ser contabilizados. Mas a verdade é que o desenvolvimento é visível, e que todos têm oportunidades, segundo as suas capacidades. Actualmente, a política é um assunto bastante debatido na rua.
Se o mito do Mao ainda não caiu totalmente é porque maior parte dos chineses não quer perder a face perante o resto do mundo. Aquele homem foi responsável pela mudança de regime e, em última análise, devem agradecer-lhe pelo progresso que alcançaram. Os chineses têm uma mentalidade completamente diferente dos Europeus. Consideram que aquilo que o PCUS fez divulgando as atrocidades de Estaline foi uma cobardia e vergonha total. E, ao fim e ao cabo, Mao apenas seguiu ensinamentos milenares que guiaram quase todos os imperadores chineses ao longo da história. Diz-se que até a revolução cultural foi inspirada por uma medida tomada pelo primeiro imperador Han, que para eliminar a concorrência dos sábios e mudar radicalmente a mentalidade do seu povo, ordenou que se enterrassem vivos todos os 300 homens de letras que viviam no seu reino e que se queimassem todos os livros. Como vêem, só bons exemplos...
Espero trazer-nos mais relatos interessantes do Oriente (nem que seja só pela coscuvilhice do casamento..) e começar a ter mais tempo para postar as coisas sobre as quais eu quero mesmo escrever.

21
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 09:41link do post | comentar
Image Hosted by ImageShack.us


A das dentuças conheço, agora o gajo do retrato nã sei quem é....

Pronto - fizeram-me ir ao sotão tirar as fotos da China e agora aguentem-se. Além do mais, aviso já que ando impossível de aturar porque já só falta uma semana para Pequim (YES!YES!) e duas para dar o nó (ai que friozinho na barriga...).

20
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 10:46link do post | comentar
Image Hosted by ImageShack.us
Blimunda e Companheiro: esta é para vocesses
Lista das coisas que eu curto à brava em Macau:
1- o cenário portuga com actores estrangeiros;
2- pastéis de nata, ameijôas à bulhão pato (feitas no Wok) e Sagres fresquinhas;
3- a catedral com santinhos e dagrões, tudo à mistura.
4- os jardins chineses;
5- a calçada portuguesa;
6- as noites doidas;
7- os portugas avariados;
8- os furacões;
9- os bambus;
10 - as lojinhas de tralha e antiguidades;
Eu tive a sorte de ver Macau com o Xano, que viveu lá 3 anos e conhece aquilo tudo de fio a pavio. Se pudesse, nunca teria regressado destas férias. Por favor, prendam-se aos pequenos nadas, pequenos gestos de Macau. Fixem-se nas cenas que nunca mudaram, que resistiram igualmente à revolução cultural e ao colonialismo. Macau pode ser pequeno, mas tem uma grande personalidade. Vale a pena.

18
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 07:56link do post | comentar
Comentadores habituais deste brog (só - esta é discriminatória): façam o favor de ler a sugestão no comentário ao post "Sodade, Sodade". Digam de vossa justiça sff.

17
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 06:50link do post | comentar
Desculpem lá, bem sei que este assunto não interessa a mais ninguém sem ser a mim (bom, e ao meu Xano também). Mas eu ando cheia de saudades de mergulhar e, pelo menos, preciso de falar disso- já que praticar está quieto...
Eu comecei a interessar-me pela coisa, ainda estava em Portugal. Fui informar-me do que era preciso e quanto custava tirar o curso, o preço estapafúrdio e a prespectiva de mergulhar sem experiência nas correntes lixadas do Atlântico tiraram-me daí o sentido. Agora, com a experiência e qualificação que tenho (não é muita, mas já é qualquer coisinha) não me importo nada de mergulhar em Portugal, antes pelo contrário. Embora só se veja verde em maior parte dos sítios (parece que só nos Açores se pode ver o azul profundo do Atlântico Norte) e quase nunca apareça lá muito peixe, adorava mergulhar para ver os cavalos marinhos (continente) ou as baleias (Açores) que só existem no nosso país.
Acabei por ir tirar o curso básico nas águas mais ou menos tropicais do Egipto (mais ou menos, porque são surpreendemente frias - 20º a 24º ...). Logo no primeiro mergulho levei logo com um cardume de alforrecas em cima e com uma tartaruga gigante. Perde-se o medo dos bichos com uma pinta desgraçada. Isto para não falar do facto de 20% da fauna do Egipto ser ou venenosa ou potencialmente perigosa e agressiva. É uma beleza....Aprende-se imediatamente a ser ecologista e respeitar a natureza- não toques em nada e de certeza que nada te toca....Logo que se aprende esta regra básica, consegue-se observar tudo de perto, sem constituir uma ameaça para os animais (tem que se saber mergulhar bem. Um gajo que se mexa sem parar atrai atenções indesejadas e pode ser atacado) e sem provocar comportamentos agressivos. Podem pensar vocês - pois, isto dos tubarões deve ser lixado. Não é. Todas as espécies de tubarão que vi até agora (nunca fui à África do Sul) são pouco ou nada agressivas. É mais provável seres mordido por uma garoupa do que por um tubarão. As garoupas são o Leão dos recifes de coral - até os tubarões se põem a milhas quando se apercebem que invadiram o território daquelas senhoras. Nunca mais me hei-de esquecer de uma que vi que devia ter cerca de 150 quilos

16
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 03:56link do post | comentar
Image Hosted by ImageShack.us

Preparar....

Image Hosted by ImageShack.us


Concentrar....


Image Hosted by ImageShack.us
E chaozinho pessoal!!!!


Ai que raio de saudades que eu tenho disto....
Estas foram tiradas antes de um mergulhito muito simples (acho que já o fiz 5 ou 6 vezes, tanto de dia como de noite) num recife de Sharm El Sheik, no Egipto que tem um dos canyons mais bonitos que já vi debaixo d'água. É um mergulho sem correntes, que vai só aos 22 metros de profundidade, mas que é sempre muito animado. Podem ver-se jardins de enguias, peixes-palhaços e napoleões bastante desenvolvidos (metro e meio). Nestas férias andávamos a tentar "apanhar" um tubarão baleia que andava por ali perdido, mas infelizmente o gajo não quis aparecer....

14
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 06:25link do post | comentar
Não pensem que ando a ficar preguiçosa....É que simplesmente, ando a fazer demasiadas coisas ao mesmo tempo para postar com regularidade. A verdade é que ando há mais de 4 dias com ideia de fazer uma certa posta e acabo por nunca ter tempo para isso.
Aqui a chafarica anda bastante animada, durante esta semana já pensei em demitir-me,suicidar-me e em mandar toda a gente à merda. Consegui chegar a sexta-feira sem fazer nenhuma destas coisas, mas implicou um auto-controle do caracinhas. Ainda por cima esta foi semana de tensão menstrual até dizer chega (isto dos blogs é lindo! até nos permite partilhar os desaranjos hormonais com o pessoal) de maneira que não andei lá muito bem disposta. Isto, meus amigos, é do cara...Com a mania que somos muito modernas,muito homens ou seja lá o que fôr,nós próprias nos obrigamos a funcionar como se não tivéssemos ovários. Mas a verdade é que os gajos existem e uma pessoa não se pode escapar ao castigo milenar que nos persegue desde o Jardim do Éden.
Se querem a minha opinião o raio do castigo foi desporpocionado. Levar com dores menstruais e de parto até ao final da eternidade, só por ter oferecido um raio de uma maçã ao Adão - acho mal, pronto!
Que culpa temos nós que o estúpido do Adão fosse atrasado mental e tenha ido na cantiga do bandido da Eva (provavelmente ameaçado que não haveria queca nessa noite...). Imaginem lá o que não seria se Eva tivesse oferecido uma bejeca ao Adão, ou pior ainda um charro! Vejam bem a desgraça que se abateria sobre nós, pobres fêmeas, se lhe tivesse dado para esse lado. Ainda bem que foi "só" uma maçazinha....
Mas esta conversa toda só para me queixar dos papéis macho/fêmea hoje em dia. Já nenhum marido quer sustentar mulher, mas ainda nenhum marido quer deixar de trabalhar para criar filhos (quer dizer, a não ser o meu...) estão a apanhar a cena? quer dizer que temos o triplo do workload da família. Não é lá muito equilibrado nem muito justo. Mas de qualquer forma, fomos nós que tivemos a infeliz ideia de ir à árvore, não foi? bom, agora só temos mais é que nos aguentar à bomboca....





11
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 03:54link do post | comentar
Devo confesar que adoro a vida que tenho. Stressada, movimentada, sempre com coisas novas e muitos desafios todos os dias. Irrita-me, cansa-me e esgota-me a paciência, isso é verdade. Mas prefiro perder a pachorra assim do que no rame-rame da desgraçada da rotina e dos dias cinzentos e todos iguais.
Organizar o casamento tem sido um desafio do tamanho de um camião. Acima de tudo porque não estávamos lá muito a contar com o Tsunami, e em duas semanas tivemos que reformular tudo - desde as viagens até à documentação...Como a minha vida, até ao momento, também este casamento assume contornos invulgares (para dizer o mínimo...). Para começar, o "noivo" está altamente envolvido na organização de TUDO - o que (desculpem lá meninos...) não é normal e me alegra mesmo muito!
Uma das coisas que eu sempre disse foi que, ao contrário de maior parte dos casamentos a que assisti (tirando o teu D.), queria que no meu o noivo estivesse com uma cara feliz. Já repararam que é raro? vão lá analisar bem as fotos dos vossos desenlaces....(a desculpa da ressaca da despedida de solteiro é a mais batida, mas está bem...).
Por isso, ter o Xano altamente entusiasmado com a coisa e a desdobrar-se em mil para organizar tudo dá-me uma satisfação incrível.
Segundo ponto estranho: como alguns de vós já devem ter calculado, quem está a tratar dos documentos (quer dizer: fazê-los MESMO) é a noiva...Experiência estranha, mas interessante. Embora seja chato até dizer chega, mas é a vida.
Os outros pontos estranhos, incluindo vestimenta dos personagens e sítio onde a festança vai ter lugar, irão ser divulgados apenas à posteriori (com direito a fotos e tudo) aqui neste blog em EXCLUSIVO...Não digo mais, que falar antes do tempo dá azar e, como todas as noivas de primeira água estou muito supersticiosa...

09
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 03:38link do post | comentar
Image Hosted by ImageShack.us

Estas são as duas estarolas cá de casa. Esta foto foi tirada quase há um ano atrás, ou seja, as gajas agora estão umas bestinhas de tamanho considerável que impõem bastante respeito a estranhos....
Agora andam a irritar-me à brava. Acima de tudo, porque ficam neste estado de cada vez que as crianças regressam a Portugal. São pelo menos duas semanas de cães deprimidos e a fazer asneiras a toda a hora. Começaram a fazer cócó onde não devem (outra vez...) e a destruir tudo o que lhes aparece à frente. Para não falar do ar de amuada constante da bulldog. A Shar Pei pelo menos, quando lhe dá a angústia, ainda vem encostar-se aos humanos e pedir festinhas toda querida, a outra não - é só asneiras. Já não sei bem o que hei-de fazer às bichas, já tentei tudo: bolachadas no focinho, castigo nos canis, utilização da trela para efeitos correctivos (ou seja, prender o bicho para não fazer merda - não pensem que ando à chicotada aos meus cãezinhos), e nada resulta. Ideias?

08
Jan 05
publicado por parislasvegas, às 05:51link do post | comentar
Image Hosted by ImageShack.us

Pronto! Dificuldades técnicas resolvidas!!!!!Isto sou eu (a de costas...) em Ayutayha, Tailândia, depois de apanhar a maior molha da minha vida!

mais sobre mim
Janeiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

19

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO